quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Saudades de MILU


O texto a seguir foi escrito pela amiga e leitora do blog Juliana Ferreira de Amorim.
Juliana, agradecemos imensamente por sua contribuição na divulgação do amor e do respeito para com os animais não-humanos e por compartilhar essa bela história conosco.

Para compartilhar sua história conosco, acesse: Escreva sua história!

"O olhar que me faz tanta falta..."


"Tenho 28 anos, sou psicóloga e, como profissional, entendo o valor terapêutico que os animais têm sobre as pessoas. Mas a história que vou compartilhar foge de qualquer estudo científico; diz de um amor sobrenatural e verdadeiro que felizmente pude conhecer nesta vida. 

Em 1992, lembro de ir até a casa de um amigo do meu pai com minha família para escolhermos um filhotinho, dentre aproximadamente 10 que a cachorrinha dele havia gerado. 

O jeito calmo da Milu (apelido que eu tinha recebido sei lá porque de um colega de escola e foi transferido para a nova integrante da nossa casa) nos encantou. Aos poucos, o vínculo entre mim e ela foi crescendo de tal maneira que meus pais e irmãs passaram naturalmente à nomeá-la de "a cachorrinha da Ju". A Miluzinha tinha cor caramelo e olhos amendoados, um apetite e energia infindáveis, e muita atenção às nossas palavras. Era como se pudesse entender tudo e cada coisa em particular... 

Ela foi criada num quintal amplo, podendo correr e cavar à vontade com nossos outros cães, e um belo dia engravidou...rs. Eu fiquei com fantasias de que pudesse matar os filhotes; já tinha ouvido muitas histórias a esse respeito, e senti que deveria dar mais atenção à ela do que nunca. Foram muitas noites de longas conversas deitadas juntas no chão, regadas a carinhos incansáveis, em que eu contava sobre meu dia e angústias, e de alguma maneira tentava "ouví-la" também. A piada nas festas de família é que a Milu conhecia todos os meus "podres"...rs. 

Milu e sua amiga Bela
Nasceram lindos filhotes, todos muito bem amamentados. Ufa! A Milu exalava saúde e disposição. Mas um dia percebi um caroço nas suas mamas... Chorei desesperadamente quando pensei na possibilidade de ser câncer e na falta de condições financeiras da minha família para custear um tratamento. Filha de espíritas que sou, orei muito para que os espíritos amigos intercedessem a favor dela. Tentei não pirar com isso. 

Passaram-se muitos anos, em que a vida de todos seguiu o curso normal, com alegrias e tristezas. E a Miluzinha demonstrando sempre uma sensibilidade extremamente apurada: respeitava nosso silêncio olhando carinhosamente, fazia festa pulando muito se estivéssemos alegres, ficava junto de maneira serena se estivéssemos tristes. Meu Deus, as reações dela eram inexplicáveis... demonstrava grande evolução espiritual. Mas infelizmente o câncer foi progredindo. 

Milu e seu amigo Spok (na sua caminha preferida)
No dia 9 de julho de 2009, ela tomou um banho e depois começou a ficar apática. Nos dias que se seguiram, foi ficando cada vez mais fraca, permanecendo deitada o dia inteiro. Fizemos tudo que estava ao nosso alcance. Caminha fofinha, toalha, comida em pasta, lenços umedecidos e muito carinho e atenção. Era o mínimo que podíamos fazer em troca de 17 anos de dedicação à nós. 

Eu mal conseguia trabalhar e estudar (na época ainda estava na faculdade), só pensava em voltar pra casa e ficar deitada no chão com ela todas as noites. Como já tínhamos feito um dia. Do nosso jeito. Com a nossa intimidade. Mas dessa vez eu sentia que tinha pouco tempo para desfrutar da companhia da minha grande amiga. Minha alma gêmea. Minha princesa. Minha Miluzinha. 

No dia 18 do mesmo mês era meu aniversário. Eu não queria sair para comemorar, só queria ficar com ela. Meu namorado (hoje marido) insistiu para que déssemos uma volta, na intenção de que eu conseguisse passar ao menos a noite sem chorar. Pouco antes de sairmos da minha casa, senti um aperto no peito muito grande, e deitei ao lado dela para dizer mais uma vez sobre meus sentimentos. Sussurrei: "Você sabe que eu não quero sair. Sabe que você é mais importante do que qualquer outra coisa. Só vou dar uma volta pela insistência de todos, mas já já eu volto pra ficar com você. Eu te amo mais do que tudo nesse mundo, e não quero que sofra! Se estiver difícil permanecer aqui, eu vou entender... Só quero que fique bem...".

Vocês já devem imaginar que meu passeio foi um fracasso né? Eu queria voltar logo, e foi o que fizemos. Quando entrei no quintal de casa, sozinha e no escuro, o lugar onde ficava a caminha dela estava vazio!!!! Fiquei desesperada, não sabia o que fazer, fiquei sem rumo... Acordei meu pai e ele calmamente me disse: "Calma filha, ela descansou". Nem dormi a noite toda, precisava entender o que tinha acontecido. 

No dia seguinte, minha mãe me contou que, logo após eu sair de casa, a Miluzinha começou a gemer, parando com a aproximação da minha mãe e irmã. Estava muito ofegante. Minha mãe orou e falou para ela ir em paz, porque já tinha cumprido com muito sucesso sua missão entre nós. E ela foi... Que tristeza, que buraco na minha alma! Até hoje... 

Aquele foi um ano difícil por diversos problemas, que ainda refletem na minha vida. Hoje, casada, moro num apartamento, e estou tentando organizar minha rotina de maneira que possa criar uma cachorrinha. O vínculo que tive com a Milu foi único, mas por toda nossa história (que tentei resumir ao máximo, senão as histórias seriam infinitas) às vezes me pergunto se ela poderia voltar para minha vida... Seria bom demais. Seria um sonho. Minha mãe sempre tem novos cães. Quem sabe ela já tenha até voltado... Deus sabe de tudo!"

31 comentários:

  1. Emocionante. Descanse em paz Milu. Linda história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Descansa em Paz Milu. E para a tua melhor amiga que deixaste aqui ela recordará sempre os bons momentos e Honrará tua amizade sempre.

      Excluir
  2. Chorei...Os cães são parecem ser criaturas feitas de "amor extra-concentrado". Ju, você já leu um texto que se chama Chico e sua Boneca?(olha aqui um atalho: http://www.slideshare.net/di.bernardi/boneca-e-chico-xavier)
    Amei sua história e da Milu!Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria de sugerir esse artigo nosso que traz o vídeo que citou: http://animaiseoespiritismo.blogspot.com.br/2010/12/animais-no-plano-espiritual.html

      Grande abraço!
      Fernanda

      Excluir
    2. A Fernanda me deu um toque ontem sobre essa história, achei super interessante... pensei que a Milu pode já ter feito como a Boneca, pois minha mãe tem um cãozinho chamado Zeus que volta e meia fica me olhando como a Miluzinha fazia... enfim, são essas possibilidades da espiritualidade que nos dão força para seguir com a saudade né? Obrigada e abraço!

      Excluir
  3. Gente q historia liiinda! Estou em lagrimas d tanta emoçao, tbm tive uma grande amiga q hj mora no céu, me identifiquei com a Milu, pois a Laila tbm deixou um buraco na minha alma!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que nossas doguinhas estejam juntas em um lugar beeeem lindo, olhando por nós e prontas para mais uma etapa evolutiva!... Abraço.

      Excluir
  4. Juliana, estou em uma situação parecida com a sua. Minha cachorrinha de 12 anos está com 3 tumores no figado e cada vez mais debilitada. Choro todos os dias, pois durantes uns bons anos ela foi minha única amiga, companheira e dividiamos tudo. Sinto que a prendo aqui. também acredito na doutrina espírita e sei que ela ficará bem quando for, mas a saudade é que machuca, a falta de quando chegar em casa e ela não estar mais lá machuca. Sei também que eu acabo, sem querer prendendo ela aqui e isso não faz bem para nenhuma de nós. Pedi para Deus levá-la na hora certa e me preparar para esta hora. Que Deus conforte e abençoe os corações de todos que como nós perdem pessoas e animais que amamos tanto. Fique com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida!

      Entendo como está se sentindo e sinto muitíssimo pelo estado de saúde de sua amiguinha... Tenho certeza de que ela é muito grata à você por todo amor e dedicação, e sem dúvida seu respeito pela vida animal contribuiu grandemente para a evolução espiritual dela! Deus cuida de tudo, e continuará te dando a força necessária sempre... Abraço carinhoso com muita vibração positiva!

      Excluir
  5. Emocionante! Tocante demais! Deus a abençoe sempre pelo seu coração tão bom! Milu, eternamente.
    Um abraço de coração,
    Eduardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelas palavras carinhosas Eduardo!!

      Excluir
  6. Querida Juliana, compartilho contigo sua alegria e sua tristeza, porque também tive um cãozinho que amei muito (e ainda amo) e que desencarnou após adoecer. Nosso alívio é saber que eles se foram com idade avançada, o que significa que tiveram uma vida plena. Quanto à doença, não podemos esquecer que tudo tem uma razão de ser, e que mesmo os nossos irmãozinhos amados também estão em processo de aprendizado e evolução, passando pela senda da dor. É claro que a dor deles tem um outro sentido, uma vez que eles não têm culpas para expiar, mas uma dor que desperte suas almas ainda em estágio infantil. Fique bem! Com certeza, se ainda não reencarnou, ela está sendo muito bem cuidada por espíritos amigos que a amam e respeitam. Peçamos a Deus que seu reencarne seja em um lar onde ela possa receber o mesmo amor que recebeu em sua casa, e quem sabe será contigo? Mas, que a vontade de Deus seja feita sempre! Um beijo carinhoso, Carla.
    (Nota: a dor animal é proporcional ao seu estado evolutivo. Quando o homem é o causador das dores, seja por abandono, maus tratos, esporte, vaidade, gula, entre outras, elas são fruto do seu egoísmo e o animal sofre desnecessariamente o abuso daquele que deveria ser seu tutor e guia. A alma animal se assemelha a criança no primeiro estágio de vida, cabendo aos adultos cuidar do seu bem estar e crescimento. Provocar a dor animal sem que este a necessite é agir contra as leis de Deus).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carla! Concordo com você, e agradeço pelas palavras tão carinhosas e bem colocadas. Deus é tão perfeito que nos dá a possibilidade de sentir saudade e assim reviver os momentos especiais com os que amamos. E somos abençoadas por termos tantos anos para relembrar né? (teve uma época do auge da vidinha da Milu que ela queria passear na rua mas não se contentava com o quarteirão, ela queria correr o bairro inteiro... às vezes ela conseguia se soltar e eu tinha que chamar uns vizinhos pra correr atrás, mas ninguém dava conta...kkk... aí dava uns 10 minutos e ela voltava, com o maior sorrisão!) Grande beijo e obrigada!

      Excluir
  7. Linda história. Os animais são anjos que Deus coloca em nossas vidas. Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Aconselho a castrar a próxima cachorrinha q adotares,assim a livrarás de futuros canceres.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! Pena que antigamente não se divulgava isso tanto como hoje, e quando eu pensei nessa possibilidade já era um pouco tarde para a Miluzinha... Mas fica a dica, obrigada!

      Excluir
  9. Fiquei tao emocionada q ainda nao para de descer as lagrimas,assim como vc tb tenho vinculos com meus animais,falo com eles como se fossem meus filhos,quando me perguntam quantos filhos eu tenho eu digo 5 filhos,um menino, uma menina,dois cachorros e uma gata.Deus te proteja querida e te conforte e em breve vc tera outro animalzinho te dando muito carinho!
    abraços fraternos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida! Obrigada pelo carinho, tenho certeza que seus 5 filhotes são muito felizes por terem uma mãe com tamanha sensibilidade... Grande abraço!

      Excluir
  10. Linda história, chorei muuuuuuito, é muito difícil se separar dos nossos amiguinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Difícil mesmo viu Simone... Mas sabemos que Deus é só amor e nosso verdadeiro lugar é ao lado Dele, então fica mais leve dividir a presença de nossos amiguinhos com Alguém tão maior!

      Excluir
  11. Tirei estes dizeres da página do Face de uma protetora chamada Ale Valente, quando lí me tocou tão fundo que resolví guardar prá mim. Lendo seu emocionante relato resolví compartilhar com você:
    "Eu me dei conta que cada vez que um dos meus cachorros parte, ele leva um pedaço do meu coração com ele. Cada vez que um cachorro novo entra na minha vida ele me abençoa com um pedaço do coração dele. Se eu viver uma vida bem longa, com sorte, todos as partes do meu coração serão de cachorro, então eu me tornarei tão generoso e cheio de amor."
    Juliana eu também tive uma melhor amiga, a LUZ, que foi a luz no meu coração, na minha vida. Minha história com ela começou por acaso, ela estava na rua e eu a peguei prá outra pessoa, e no fim eu é quem ficou com ela, pq. ela não aceitava mais ninguém. Ela foi minha confidente, amiga e filha por 11 anos. Foi-se de câncer no fígado nos meus braços. Eu mesma tenho câncer e desde a 1ª vez em que a doença me apareceu, em 2003, pode parecer irracional, mas era ela que me dava forças prá continuar... Tenho tido sucessivas recidivas, mas quando a tinha ao meu lado tudo parecia menos difícil. Tenho família, marido maravilhoso, mas este tempo (1 ano e nove meses) sem ela... . Não tive filhos mas creio que cachorro é como filho, tenha quantos tiver, cada um é único.
    Adote outro sim, a vida sem cachorro é menos vibrante. Grande e terno abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo relato, querida amiga Eliane! Me emocionei!

      Obrigada por compartilhar! Estamos torcendo muito por você! Esteja em paz!

      Grande abraço! Conte conosco!
      Fernanda

      Excluir
    2. Eliane querida, que lindo isso que a protetora postou! Me emocionei viu...

      Durante os anos que a Miluzinha esteve conosco, minha mãe também teve câncer, o mesmo que o dela... Foi uma luta difícil, e em dose dupla... Mas Deus foi misericordioso com minha mãe e será com você também, pois cumpriram como cuidadoras o que Ele esperava, e quem vai cuidar de vocês agora é Ele!

      Grande abraço!!

      Excluir
  12. Olá, Juliana !
    Emocionante o relato....
    Já tive 15 cães, todos de grande porte ( hj são 3). Sempre me apeguei muito a todos eles, mas talvez a nenhum outro como a uma cadela dogue-alemã. O problema é que ela esta com um tumor perto dos olhos, com cerca de 4 cm, que sangra a todo momento. Choro todos os dias, tento não pensar nisso, mas é impossível.Tenho tomado calmante, mas a situaçao tem me incomodado bastante. Ela continua bem ativa e será operada na próxima semana. O que me consola é que o dogue-alemão tem uma expectativa de vida de 10 anos e a minha cadela fará 12 em pouco tempo. Espero que Deus permita que ela possa ficar mais um tempo... torça!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gustavo! Estamos vibrando positivamente por ela! Obrigada por compartilhar!

      Grande abraço! Conte conosco!

      Fernanda

      Excluir
    2. Oi Gustavo, compartilho sua dor viu! Estarei orando pela recuperação da sua doguinha, creio que Deus sempre tem um propósito para tudo e não vai te desamparar...

      Abraço fraterno!!

      Excluir
  13. Juliana! Tenho um "filho" amado e entendo muito bem o que sentes. Ele tem 13 anos e já sinto um aperto muito grande no peito só em pensar como vou fazer quando chegar a hora da sua partida. Sou espírita e acredito na bondade do Pai,mas assim mesmo não sei como vou suportar chegar em casa e não encontrar o meu amor. Espero que ele ainda fique um bom tempo comigo. Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Adriana!

      Como humanos em evolução temos tendência ao apego e medo das perdas... Mas pense que você contribuiu muito para a evolução do seu doguinho com seu amor por todos esses anos, e ele precisará inevitavelmente viver novas experiências depois dessa longa passagem. Você "perde" um companheirinho em vida, mas com certeza sua equipe de anjos da guarda vai aumentar!! :)

      Excluir

Amigos, sejam bem-vindos! Ficamos muito felizes por receber suas mensagens!