sexta-feira, 21 de março de 2014

“Meu animalzinho morreu e eu acho que a culpa é minha. O que devo fazer?”



Queridos amigos, muitos me mandam mensagens desse tipo. Entendo perfeitamente a sensação de ter deixado de fazer algo, de ter levado tarde demais para uma clínica veterinária, o sentimento de ter podido fazer melhor...

Quando se tem por perto um amiguinho (entendamos aqui um animal não humano, um irmão mais novo), sempre devemos fazer de tudo para que ele tenha a melhor vida possível. E ter a melhor vida possível não é ter roupinhas da moda, ir ao petshop toda a semana etc. Uma boa vida é prezar por seu bem-estar, o que em muitos aspectos difere do bem-estar humano.

Quando amamos de verdade, tudo fazemos para fornecer o melhor e cuidar com amor e respeito de nosso amigo. Muitas vezes o desencarne acontece sem que ao menos esperássemos.

Realmente, nem sempre saberemos as respostas, na verdade, quando tentamos encontrar respostas para os assuntos da vida e da "morte", na maioria das vezes o que temos é o que o nosso coração nos diz.

Às vezes queremos as respostas de acordo com o que achamos certo, mas sabemos, que nem sempre é assim.

O que nos resta? Nossa fé, e não a fé no sentido religioso apenas, mas a fé que nos move a cada dia, a fé que nos faz levantar e continuar vivendo. A fé que nos inspira para sermos melhores pessoas, melhores maridos e esposas, melhores mães e pais...

Se nos apoiarmos nisso, buscando sempre evoluir como pessoa, nossas chances de fazermos o bem é enorme. Dessa maneira, tenhamos fé de que fazemos o que podemos de melhor por nossos queridos irmãos mais novos.



Quem ama verdadeiramente, tem grandes chances de sempre fazer o bem para o outro.

Difícil é aquele que está preparado para a despedida, mesmo que essa seja temporária.

O que acontece é que nós, seres humanos, nos cobramos por não ter conseguido fazer melhor e a palavra "se" sempre está no nosso caminho.

Diante de tudo o que foi feito para prezar pelo bem-estar de um animal, deixe o "se" sair do caminho. Na maioria das vezes, acreditamos que a culpa foi nossa, pois acreditamos que temos o controle de tudo. Entretanto, cada ser tem seu próprio propósito, e os caminhos que ele percorre são únicos e depende de muitos outros fatores além do nosso amor e cuidado.

Queridos amigos, o elo de amor entre aqueles que se amam perdurará para todo o sempre. Quando a tristeza recair sobre nós, devemos pensar nos momentos bons, nas alegrias, superações....

Por algum tempo as lágrimas virão aos nossos olhos, mas depois só o sorriso permanecerá....esse é o momento em que teremos encontrado a melhor definição da palavra amor.

4 comentários:

  1. Muito bom. Conheci o blog em maio do ano passado, quando perdi minha cachorrinha, e buscava muito por consolo, mesmo sendo espírita. E eu me culpei também: por não ter descoberto antes (foi doença renal, mas ela tinha apenas 8 anos), por tê-la deixado uma semana na clínica tomando soro (porque a veterinária disse que tinha que ser assim, mas hoje sei que podia ter sido diferente) sendo que ela nunca saía de casa, e era super apegada a mim. Graças a Deus consegui trazê-la pra morrer em casa, foram poucos minutos com a gente, e ainda assim, a veterinária não queria liberar, pois segundo ela, minha cachorra estava no seu melhor dia (!), e ela estava claramente morrendo. Três meses depois, minha outra cachorra de 15 anos também morreu, pelo mesmo motivo, mas dessa vez eu soube agir diferente, e tive acompanhamento à distância de uma vet. homeopata, o que faz TODA a diferença. Ela também precisou tomar soro, mas nós a levávamos e buscávamos, e ela dormia em casa (e claro, troquei de veterinária). Encontrei veterinários compreensivos, e com o apoio da vet homeopata foi tudo bem diferente, até o preparo da família para o desencarne dela. Mas ainda assim fico triste por ter tido que aprender errando com a primeira. Já vai fazer um ano, e eu ainda não superei (é uma saudade que acho que não passa tão cedo). Acompanho o blog pelo feed, e a página no Facebook. Gosto muito. Parabéns pelo trabalho que vocês fazem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida Jussara! Obrigada por compartilhar conosco....isso é tão importante.....quando dividimos as nossas experiências ajudamos outros e nos ajudamos....

      Obrigada pelo apoio!

      Grande abraço! Fernanda






      Excluir
  2. Obrigada pela mensagem, servir exatamente para meu sentimento: "deixe o "se" sair do caminho. Na maioria das vezes, acreditamos que a culpa foi nossa, pois acreditamos que temos o controle de tudo."! É isso, tudo esta sob controle, mas não sob o Meu controle....deixar fluir a vida com seus acontecimento. Obrigada pelo entendimento. Namastê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada você, Cris!

      Grande abraço!!
      Fernanda

      Excluir

Amigos, sejam bem-vindos! Ficamos muito felizes por receber suas mensagens!