segunda-feira, 19 de setembro de 2011

A visão espírita sobre os "animais de entreterimento"

Qual a posição do Espiritismo frente ao que alguns chamam de diversão, em que os atores principais são os animais não-humanos?


Chamar irmãos de evolução de "animais de entreterimento" e entreter-se com qualquer tipo de crueldade é totalmente contraditório rumo à evolução espiritual.
"Devemos acordar os companheiros encarnados mais esclarecidos para a nova era em que os homens utilizar-se-ão dos animais com espírito de respeito. É de importância essencial, pois sem amor para com nossos inferiores, não podemos aguardar a proteção dos superiores"
ANDRÉ LUIZ (psicografia de Chico Xavier)
---
Agosto/2010
            Ao longo dos milénios vamos assistindo ao evoluir da humanidade, ao refinar dos seus gostos, das sua tradições, dos seus hábitos. A tal ponto que, as guerras, outrora cruéis, tornaram-se hoje mais sofisticadas, já não sendo o soldado que espeta a baioneta no inimigo, mas o simples "click" num botão, que permite matar com mais "humanidade", de uma maneira aparentemente "menos" cruel.
No que concerne às tradições, umas vão desaparecendo e outras vão ficando, até que um dia desapareçam por sua vez e dêem lugar a outras, novas, que aparecerão. Faz parte da dinâmica das sociedades, da evolução grupal e individual.
Com a Doutrina Espírita, que não é mais uma seita nem mais uma religião, aprendemos que o princípio espiritual, criado por Deus, evolui ao longo dos milénios, no reino vegetal, transitando para o reino animal, culminado este "estágio" milenar no reino hominal, onde aí, o princípio espiritual torna-se um Espírito, adquire a sua personalidade, e começa então as suas primeiras vidas em planetas primitivos, evoluindo por sua vez, ao longo dos milénios, intelectual e espiritualmente, até que um dia atinja a angelitude (ver "O Livro dos Espíritos", de Allan Kardec).
Neste sentido, o Espiritismo vê os animais como nossos irmãos menores, seres vivos, seres orgânicos, apenas noutro estado evolutivo, no reino animal, digamos que num degrau abaixo do nosso actual estado evolutivo. Os animais merecem-nos o maior respeito, acompanhamento, auxílio, e devemos contribuir para o seu bem-estar, para que a sua evolução se faça também o melhor possível, sem sofrimento, tal como faríamos a um ser humano.
Invocar em defesa das touradas, (espectáculo público que apresenta reminiscências dos circos romanos, e que trazemos essas lembranças nas nossa memórias, de outras vidas) que são uma tradição, seria o mesmo que adotarmos em pleno século XXI, a tradição do duelo, costas com costas, 10 passos em frente, e quem disparar primeiro e acertar no outro, safa-se, e o outro morre. Era tradição, servia para lavar a honra perante uma ofensa, homem que fosse homem, perante a mínima ofensa teria de pedir um duelo, mostrando assim a sua masculinidade. Hoje, esse procedimento afigurar-se-ia um disparate rematado, caso fosse invocada a sua reedição por motivos culturais, por ter sido uma tradição da nossa história, entre outros pontos a favor.

O Espiritismo considera os animais nossos irmãos,
num reino evolutivo inferior, competindo-nos apoiá-los e amá-los
 
Na nossa condição de espíritas, não é paradigma criar conflitos, acusar o próximo, pois certamente existem muitos argumentos a favor e outros contra, e todos eles certamente serão válidos para quem os defende. No entanto, embora sejamos apologistas da compreensão mútua, da tolerância, do amor ao próximo, do entendimento, de sermos pontes de entendimento ao invés de sermos vales de discórdia, é nosso dever como espíritas, intervir tranquilamente, opinar sem ferir, sem magoar, sem agredir.
Jesus aconselhava que não puséssemos a luz sob o alqueire, e como tal, seria no mínimo desonesto que nos abstivéssemos de opinar por questões de "marketing".
A Terra é a nossa casa temporária, nesta vida, como já foi em muitas outras e continuará a ser ainda por muito tempo em vidas futuras, e, os seres vegetais e animais, merecem todo o nosso respeito, admiração, carinho e Amor, como nossos irmãos em reinos inferiores da evolução, não nos sendo lícito utilizá-los para pretensas festividades, onde o sofrimento dos animais é motivo de alegria daqueles que supostamente deveriam ser mais evoluídos: os humanos.
O texto acima foi transcrito do blog Artigos Espíritas. Para ler, basta clicar: O Espiritismo e as Touradas

Sugerimos também a seguinte matéria da Folha Espírita: Touradas. O que você pensa sobre elas?

5 comentários:

  1. entreteRimento?-e por duas vezes!!-

    me desculpe, mas as vezes penso que o espiritismo não passa credibilidade em razão dos inúmeros textos escritos sem cuidado nenhum na escolha das palavras ou como escrevê-las.

    Chico Xavier foi um bom homem e muito iluminado. Era tb muito simples mas extremamente cuidadoso no que escrevia, tanto psicografando qto escrevendo por si.

    Um dia ele disse." Estejas atento para o que escreverdes, pq nos foi dado o dom da palavra para que através dela, orientemos nossos irmãos. Cada letra acento e vírgula são sagrados como a energia emanada de vossa escrita"(são palavras iniciais de um dos livros dele)

    Outra coisa, ele diz no texto acima, conforme postado, que deve-se tratar bem os inferiores, mas na verdade ele considerava animais superiores e perfeitos em pureza e genuinidade. Porém sabia que a maioria dos homensos considerava "menores" e mais fracos.

    ATENÇÃO AMIGOS!!!

    ResponderExcluir
  2. Querido (a) amigo (a), entendo sua indignação, pois acredito que todos que respeitam os animais não-humanos como nossos irmãos, não concordam com esta denominação.

    Peço, por gentileza, que leia o texto até o final para entender que esta não é a denominação que nós do Animais e o Espiritismo usamos, afinal, seria totalmente contra nossa filosofia (colocarei nossa posição no início deste texto para que não aconteça mais equívocos).

    Em relação a chamar os animais não-humanos de “inferiores”, isto apenas quer dizer que estes nossos irmãos estão pouco atrás de nós rumo ao “arcanjo”. Podemos lembrar de Kardec: “(…)tudo se encadeia na Natureza, desde o átomo primitivo até o arcanjo, que também começou por ser átomo. (LE - Questão 540).

    Devemos lembrar que chamar de irmãos inferiores e/ou menores em relação ao ser humano, de nada desmerece os animais não-humanos, afinal se nos compararmos aos Espíritos Superiores, os “inferiores”da história seremos nós. Cada um tem seu lugar e nenhum ser é desmerecido frente à Lei do Progresso. O preconceito muitas vezes está em nossas mentes.

    Por favor, lembre-se que o Espiritismo é a doutrina e o espírita muitas e muitas vezes é cheio de engano e limitações, pois é um ser passível de erro.

    Um grande abraço! Obrigada por compartilhar!
    Fernanda

    ResponderExcluir
  3. PARABENS FERNANDA PELA SUA RESPOSTA , AO NOSSO AMIGO"ANONIMO"
    FICO MUITO TRSITE QUANDO ALGUEM SO CRITICA, ESTAO SEMPRE A PROCURA DOS ERROS, NAO CONSEGUEM VER MAIS AO LONGE
    OBRIGADA POR ESTE ESPAÇO
    PRECISAMOS PASSAR A PALAVRA, TALVEZ DENTRE MILHOES, POSSAMOS ANCHER ALGUNS CORAÇOES COM O AMOR DIVINO, E CAUSAR MENOS SOFRIMENTOS AOS ANIMAIS

    ResponderExcluir
  4. Com certeza esta é uma missão de todos nós Evelin! Obrigada pelas palavras! Muito bom tê-la conosco!
    Grande abraço!
    Fernanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. parabens pelo assunto sobre animais.

      Excluir

Amigos, sejam bem-vindos! Ficamos muito felizes por receber suas mensagens!